segunda-feira, 17 de março de 2014

Não sou


Não sou sobras nem resto. Nem outros, nem dos outros.
Não sou canção e nem pegajosa solidão.
Não sou flores nem cores.
Não sou ponte ou poente.
Não sou ausente e nem presente.
Não sou o acaso precisando de decisão.
Não sou cacos quebrados por decepção, nem estradas sem direção.
Não sou alma sem coração e nem cegueira sem visão
Não cintilo sem brilho e não ofusco sem razão.
Não sou a lógica do mundo, a certeza da questão.
Não sou alma confusa, nem prosa complexa à procura de definição.
Não sou sábia nem sabida para entender a confusão.
Não faço apologia a nada, nem tenho convicção da estrada
Não sei quase nada de tudo e nem do resto.
Não suspeito. Não decifro. Não insisto.
Do pouco que existo, sou exausta a procura de chão.
Ita Portugal




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...